Quantas vezes nos deixamos levar pelo calor do momento, fazendo com que a emoção prevaleça sobre a razão e depois dizemos: O que foi que eu fiz?

Em algum momento, todos nós já passamos por uma situação de descontrole emocional, sem analisar racionalmente a situação.

Não podemos permitir que as emoções interfiram em nossas decisões sempre, isso pode causar muita angústia e sofrimento.

Mas, a boa notícia é que somos capazes sim, de controlar estes impulsos, trazendo mais inteligência para nossas emoções.

Agindo de forma positiva em diferentes circunstâncias.

Isso se chama inteligência emocional que, de forma geral, pode ser considerada como a capacidade de gerenciar a emoção a favor de um objetivo.

Ou seja, analisar e “arquitetar” as emoções de forma que elas possam contribuir para alcançar o que se espera.

Mesmo acreditando ser uma pessoa que age pela emoção, você pode administrar  seus impulsos.

E, assim, agir de forma adequada em um acontecimento no qual provavelmente perderia a razão.

Também postei em meu canal YouTube um vídeo sobre a mesma temática:

Autoconhecimento e empatia

Para isso, antes de tudo, é necessário conhecer a si mesmo.

Somente o autoconhecimento pode fazer com que você analise a situação de forma inteligente, compreendendo exatamente o que o faz agir de forma impulsiva.

Mas, somente isto não basta.

Para que se tenha inteligência emocional, de forma plena, é importante, também, reconhecer e responder adequadamente a intenção emocional das outras pessoas.

O que ocorre é que, em algumas situações, respondemos de forma inadequada inconscientemente.

Para assim nos proteger de algo que acreditamos que pode nos machucar ou porquê temos medo, e às vezes nem nos damos conta disso.

À medida que compreendo que reajo de forma inadequada emocionalmente por conta de algo que desconheço ou algo que tenho medo, consigo me adequar melhor.

E responder de forma emocionalmente inteligente, evitando um desgaste maior.

Mas como levar inteligência a emoção?

1- Desenvolva a autoconsciência 

Procure distinguir suas emoções no exato momento em que elas ocorrem.

Entre em contato profundamente com os sentimentos, pois, assim você toma consciência sobre o que sente.

Podendo refletir e agir de forma mais adequada à situação em que se encontra, concentrando o pensamento na ação e não somente na reação.

Trazer consciência para a emoção é uma forma de administrar suas ações, conquistando, assim, resultados positivos.

2- Aprenda a lidar com as emoções

Não basta apenas reconhecer, é preciso saber lidar com as emoções, para que sejam adequadas ao contexto.

A melhor forma de aprender a lidar com as emoções é imaginar uma situação passada em que agiu positivamente diante de um acontecimento semelhante.

Ao repetir a atitude, você está enviando uma mensagem para si mesmo de como lidar com o que sente.

Agindo assim, tem grandes chances de reprisar o sucesso que obteve anteriormente.

3- Motive-se

Antes de começar uma conversa difícil ou responder grosseiramente a alguém pense antes: O que eu quero realmente com isso?

Ao fixar um objetivo claro, você encontra motivação para agir de forma adequada.

Além disso, consegue o que espera não deixando que influências externas e até mesmo internas interfiram em sua meta.

Desta forma, a motivação é orientada por um objetivo maior que é o que você espera conquistar, não ficando somente sob o domínio das emoções.

4- Reconheça a emoção nos outros 

Tenha empatia, saiba se colocar no lugar de outras pessoas. Este é um fator fundamental para a inteligência emocional.

Quando estiver diante de uma situação delicada, procure “sentir” também a emoção que a outra pessoa está sentindo.

E o que você poderia fazer para neutralizar, caso esta seja uma emoção que possa interferir na relação ou nos resultados da conversa.

5- Saiba lidar com os relacionamentos

Respeite a diversidade, seja sensível ao impacto que você causa em outras pessoas e ofereça soluções.

Da mesma forma que você tem reações frente a diversos contextos, outras pessoas podem ter um pensamento e reagir de forma totalmente diferente.

Saber respeitar isso e tentar compreender os motivos que levam alguém a reagir de determinada maneira.

É uma forma de não deixar que o impacto de emoções alheias interfira em como nos sentiremos naquele momento.

O grande segredo da inteligência emocional é saber o que realmente desejamos, além de conhecer os próprios limites e os limites de outras pessoas.

Tendo consciência disso, podemos analisar melhor as situações e então, promover uma revolução positiva em nossa vida.

Conheça nosso curso de formação

Em nossos cursos de formação em constelações familiares o aluno apreende a lidar com suas emoções (autoconsciência) e a reconhecer a dos outros (empatia).

Dessa forma, o futuro facilitador em constelações familiares é aperfeiçoado, também, no desenvolvimento da sua inteligência emocional.

É primordial para o facilitador em constelações familiares conhecer suas emoções, saber administrá-las, se auto motivar e fazer empatia.

Não concebo um curso de formação para facilitadores em constelações que não ensine a pratica da autoconsciência, meditação, consciência emocional e administração das próprias emoções.

A meu critério, o facilitador, deve ter atenção plena e automotivação.

Para quem queira ajudar a outros, acho indispensável, saber lidar com relacionamentos e ter aguçada sensibilidade do campo dos sistemas familiares com os que trabalha.

A rápida transformação de uma emoção limitante em uma expansiva é a possibilidade de transcende-la.

Senão conseguimos fazer isso conosco, não vamos a poder ajudar a fazer isso com outros.


Mario Koziner

Inscreva-se em nossa newsletter

Inscreva-se em nossa newsletter

Inscreva-se em nossa newsletter para receber conteúdo toda semana sobre Constelações Familiares e desenvolvimento pessoal em seu email.

Em instantes você receberá um email para confirmar sua inscrição!