Imprensa

Instituto Koziner na Mídia

Instituto Koziner na Mídia

Principais reportagens com Mário Koziner publicadas em importantes veículos de comunicação.

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL É ABORDADA EM PALESTRA

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL É ABORDADA EM PALESTRA

A Tarde – Salvador – 28 de Junho de 2002. LOCAL, por Silvia Nascimento

Psicoterapeuta destacou importância do emocional no trabalho

“Sucesso é conseguir o que você quer. Felicidade é querer o que você conseguiu”, ensinou ontem, à tarde, o psicoterapeuta argentino Mário Koziner durante a palestra que ministrou para os funcionários de A TARDE, dentro do programa “Ciclo de Palestras”, realizado mensalmente por meio do projeto de capacitação e desenvolvimento dos profissionais da empresa. Koziner, com 20 anos de experiência em psicanálise humanista e transpessoal, tendo atoado na Argentina, Uruguai e Brasil, falou sobre o tema “Inteligência Emocional e Qualidade Humana”, destacando que hoje vivemos em um mundo onde a formação cultural nos ensinou a abafar as emoções em função do uso da razão, criando nas pessoas um total analfabetismo emocional, como se o ser humano não tivesse aprendido o bêabá de suas emoções.

Mário Koziner explicou que a inteligência emocional é a capacidade do ser humano de resolver os seus problemas utilizando suas habilidades emocionais e ela se fundamenta em cinco pilares que são: o autoconhecimento, a administração das emoções, a empatia (capacidade de sentir a si e ao outro), a automotivação e a sociabilidade.

 

O ciclo de palestras do projeto de capacitação e desenvolvimento dos profissionais de A TARDE, iniciado em dezembro, já abordou os temas “Gestão do conhecimento nas empresas”, “Excelência nas negociações”, “Cidadania empresarial: um caminho sem volta” e “Globalização”. Além dos funcionários, também participaram do evento os diretores de A TARDE Renato Simões e Silvio Simões e os gerentes administrativos Máximo Cruz e de Desenvolvimento de Recursos Humanos, Alberto Bocco.

CURSO TRABALHA O EMOCIONAL DE EDUCADORES

CURSO TRABALHA O EMOCIONAL DE EDUCADORES

Correio da Bahia – Salvador – 07 de Novembro de 2002. EDUCAÇÃO

Estão crescendo os índices de analfabetismo emocional. O aumento da violência nos lares e nas escolas e o significativo incremento dos índices de depressão em adolescentes e em crianças são alguns dos indicadores do problema, na opinião do médico e psicoterapeuta Mário Konizer. Especialista em competência emocional, ele conclui que na atual realidade escolar existem necessidades a ser preenchidas e que são os próprios alunos, professores, diretores, funcionários e pais que vêm solicitando uma atitude transformadora deste quadro.

Para Mário Koziner, que no próximo dia 23 de novembro dá o curso Competência Emocional e Qualidade Humana, voltado para educadores e profissionais com cargos de liderança, “o educador é um agente de vital importância na propagação de conceitos e vivências na área da educação emociunal, competéncias e valo-
rés humanos”.

“Neste momento, a escola desponta como o caminho possível e o local ideal para esta orientação e, por isso mesmo, o curso visa dar parcela de contribuição”, acredita o psicoterapeuta. “Os educadores precisam se instrumentalizar para trabalharem pela diminuição da violência, do uso de drogas e a minimização do índice de gravidez na adolescência”, esclareceu Konizer.

Rendimento – Ele afirma que este trabalho vai contribuir com “a melhoria do rendimento escolar, evitando também a diminuição da repetência e a evasão da escola”. A participação neste programa prevê a formação de seres humanos mais íntegros, com maior tolerância às frustrações da vida e mais aptos a lidar com mudanças. “Certamente que se tornarão mais comunicativos e solidários, e com
mais consciência de cidadania”, pontua o Mário, para esclarecer alguns dos benefícios do trabalho.

De acordo com Mário Koziner, sem necessariamente ser psicólogo ou trabalhador social, o papel do educador hoje é também dar respostas criativas e eficazes aos mal estares emocionais na comunidade onde presta serviço.
“Para isso ele precisa reconhecer e administrar suas próprias emoções”, justifica.

Por essas razões, o curso Competência Emocional e Qualidade Humana investe em um trabalho que tenha um impacto sobre o desenvolvimento cognitivo, sobre a aquisição do conhecimento, suas ações e comportamentos.

EMOÇÃO CONTA NO RESULTADO GLOBAL

EMOÇÃO CONTA NO RESULTADO GLOBAL

A Tarde - Salvador - Sábado, 09 de novembro de 2002. Caderno 2. Comportamento.

O Psicoterapeuta Mário Koziner valoriza capacidade de agir diante de problemas no trabalho

Expostos às mesmas condições de trabalho, funcionários de uma empresa comportam-se de maneiras diferentes diante das adversidades. Esta discrepância, perceptível até nos mais altos cargos, pode comprometer os resultados globais planejados pela companhia. Mas qual seria a razão para essas alterações de desempenho? A resposta pode ser a forma como os profissionais, inclusive os mais qualificados, lidam com as emoções. “As competências de um indivíduo são 50% intelectuais e 50% emocionais”, afirma o médico e psicoterapeuta argentino Mário Koziner. Radicado em Salvador há nove anos, o profissional divide seu tempo entre o Brasil, o Uruguai e a Argentina, ministrando cursos sobre competência emocional e qualidade humana para empresas desses países.

A inteligência emocional pode ser descrita como a habilidade que o indivíduo tem de controlar suas emoções e gerar sentimentos que facilitem o apren( dizado e a tomada de atitude. O ponto de partida para quem advoga os conceitos de inteligência emocional é a crença de que a união entre razão e emoção é ( fundamental para se posicionar no mundo moderno. Quer dizer, i por mais talentoso que um profissional seja, o seu papel dentro da empresa em que trabalha

vai depender em muito de sua capacidade de reagir bem quando as coisas vão mal. Seja por questões interiores ou por pressões no ambiente de trabalho. A dificuldade em lidar com as emoções pode ser um sério obstáculo ao crescimento profissional e, em alguns casos, pode motivar uma demissão. “Queira-se ou não, o líder é um educador emocional. E ninguém quer ser liderado por quem não tem uma atitude positiva”, afirma o psicoterapeuta. O médico citou ainda uma pesquisa divulgada em 2000 que mostrou que l % na melhora do ambiente de trabalho corresponde a 2% de ganho na receita da empresa.

CURSOS – “A ciência tem demonstrado que muitas das melhores decisões, os mais dinâmicos negócios e uma vida plena e bem-sucedida requerem tanto um repertório intelectual e técnico quanto competência emocional e qualidade humana”, afirma.o médico argentino. A experiênciatíe Koziner no assunto é repassada nos trabalhos realizados junto a sua mulher, a psicóloga Eliane Koziner, no Instituto Koziner de Desenvolvimento Pessoal e Profissional, com sede em Salvador (Rua das Hortências, 740, sala 304, Caminho das Árvores). O instituto desenvolve cursos que abordam os novos paradigmas da inteligência, competências interpessoais, sociabilidade e liderança e melhoria da qualida de de vida.

Os cursos são divididos em sete módulos, um por mês, que duram um final de semana. O próximo curso começa no dia 31 de maio e custa R$ 1.400 que podem ser pagos em sete parcelas de R$200. Mais informações pelo telefone: 353-7909 ou pela página na internet: www. institutokoziner.com

Presidente encerra com mensagem

Presidente encerra com mensagem

Revista Bompreço

O psicoterapeuta Mário Koziner falou sobre Inteligência Emocional

O presidente do Grupo Bompreço João Carlos Paes Mendonça, que foi muito aplaudido ao entrrar no Teatro Guararapes, em sua mensagem de encerramento declarou que o avanço da tecnologia e os milagres da ciência nos colocam, a cada dia, perante uma novidade, modifica nossos padrões de produção consumo e molda novas formas de comportamento social para o novo século. E mais adiante, chamou a atenção de todos para a necessidade de entender esse processo sem perder a identidade, nessa verdadeira massificação atual globalizada em que vivemos atualmente. No final, respondeu a várias perguntas dos clientes que curiosos, procuravam saber sobre expansão do Grupo em Pernambuco e no Nordeste. Um cheque de R$ 36 mil foi entregue pela Sra. Auxiliadora Paes Mendonça a presidente da Cruzada de Açâo Socia l Geralda Farias, para que fosse utilizada nas creches daquela entidade.

A emoção e a alegria foram os maiores ingredientes do verdadeiro sucesso do Encontro Cliente e Bompreço. Quando foi passado em multimídia uma retrospectiva dos grandes acontecimentos e das grandes personalidades que marcaram ou revolucionaram este século, o público aplaudiu entusiasmado os gênios do bem e vaiaram os génios do mal.

O psicoterapeuta Mário Koziner falou sobre Inteligência Emocional e a compositora Rita Lee, acompanhada do morido, o músico Roberto de Carvalho, do filho e de sua banda, apresentou-se com o espetáculo “Meio Desligado” e de uma forma bem descontraída cantou um repertório mostrando musicas como ” Mania de Você”, “Alô, alô Marciano”, “Nem luxo nem lixo”…

Os bonecos gigantes do Lobatinho conduziram os participantes ao som do marocatu, frevo, e de cambalhotas até o Pavilhão de Feiras.

A festa foi até às 22h.

Uma grande equipe entusiasmado cuidou de todos os detalhes para que Bompreço e clientes estivessem numa verdadeira sintonia.

Inteligência a Flor da Pele

Inteligência a Flor da Pele

Correio da Bahia - Salvador – 13 de Agosto de 2000, por Antônio Brotas

Curso resgata a importância da emoção na profissão

Intelecto só não basta. O profissional precisa ter controle emocional para superar as adversidades da vida e se adaptar às mudanças impostas pelo mercado. “Sem a inteligência emocional, o homem usa apenas metade da sua capacidade produtiva”, garante o psicoterapeuta argentino Mário Koziner. Para o médico, que é especialista no assunto, as pessoas devem valorizar mais a sabedoria e as habilidades proporcionadas pela intuição que, segundo ele, é 80 mil vezes mais rápida do que o raciocínio lógico.
Quem acredita que este é um caminho para conseguir um diferencial competitivo no mercado de trabalho terá a oportunidade de aprofundar os conhecimentos sobre estes temas no curso de extensão Inteligência emocional & Qualidade Humana, ministrado por Koziner de agosto de 2000 à janeiro de 2001. Com certificado a ser conferido pela Faculdade Integrada da Bahia (FIB), o curso, que já foi apresentado em versão semelhante no Ceará, Piauí, Paraíba, Argentina e Uruguai, terá seis módulos com aulas em apenas um final de semana de cada mês. O investimento é de R$1,8 mil, divididos em seis parcelas de R$300. Esse valor cobre os custos com material didático, certificado, almoço e coffee-break.

Focado no lado humano e não no técnico, o curso, de acordo com Koziner, tem como objetivo o reconhecimento e a valorização da intuição, a potencialização da comunicação interpessoal e sobretudo, a identificação dos valores, qualidades do indivíduo. Para cumprir essa promessa, serão utilizadas atividades teórico-práticas que passam pelas artes plásticas, danças circulares, biodança, visualização criativa, programação neurolingüística, entre outras. No conteúdo programático, estão incluídas aulas sobre autoconhecimento, administração das emoções, automotivação, empatia, sociabilidade e liderança.

Para o psicoterapeuta, estas questões são atuais e tornam-se emergenciais para as empresas que participam de um mercado cada vez mais competitivo. ”As organizações devem cuidar do desenvolvimento das relações pessoais porque a harmonia destas relações e a satisfação dos funcionários tornou-se um diferencial competitivo num ambiente em que há homogeneidade tecnológica”, observa ele.

“A escola oferece apenas a educação intelectual, mas o trabalhador não age só com o raciocínio. Ele funciona na totalidade e precisa aprender a dominar suas emoções para que elas contem a favor e não contra o profissional”, acrescenta. Também vão ministrar aulas no curso os professores Nelson Cerqueira, Cipriano Luckesi e Ricardo Chemas.

A Inteligência Gerada pelas Emoções

A Inteligência Gerada pelas Emoções

O Povo - Fortaleza – 08 de julho de 2001 - Ciência e Saúde, por Ana Cecília Mesquita

O homem possui inúmeras potencialidades que estão além dos testes de quoeficiente de inteligência (QI). A inteligência emocional vem falar da capacidade de compreender as próprias emoções e as do outro, como uma habilidade fundamental do ser humano.

Durante muito tempo, o chamado QI (quoficiente de inteligência) era a medida não somente de inteligência, mas do sucesso que alguém poderia obter na vida. Ainda hoje, lidamos com o rótulo de inteligente ou não, dependendo da capacidade de demonstrar raciocínio lógico, matemático, numérico. Mas aos poucos, uma outra idéia vem sendo disseminada com o nome de inteligência emocional, que em termos gerais, é a capacidade de gerenciar sua próprias emoções e compreender as emoções do outro.

Essa idéia foi propagada em 1995, nos Estados Unidos pelo psicólogo da Universidade de Harvard Daniel Goleman, autor do best-seller Inteligência Emocional. “Mas não é oposta a essa inteligência numérica e sim um complemento. O que a teoria da inteligência emocional identificou é que uma pessoa seja qual for a sua profissão, por mais que tenha um alto coeficiente de inteligência e conhecimento de sua área, com esses dois itens tem somente 50% de possibilidade de um desenvolvimento excelente. Além disso, é preciso ter habilidade emocional”, explica o psicoterapeuta e médico argentino Mário Koziner.

Ele está coordenando o curso Inteligência Emocional e Qualidade Humana, cujo primeiro módulo começou neste final de semana. São doze módulos ministrados em um final de semana por mês, em que Koziner ensina como desenvolver a inteligência emocional, através de conhecimentos teóricos e vivenciais.

“Porque inteligência não é sinônimo de QI, engloba todas as capacidades de ser humano. Há cerca de 15 anos, um psicólogo americano chamado Gardner falou sobre as inteligências múltiplas”. É assim que podemos desenvolver as mais diversas inteligências: espacial, musical, corporal, interpessoal, intrapessoal, lógico-matemática, linguística, etc.

A inteligência emocional, entretanto, não é somente mais uma inteligência. “É uma meta-inteligência. Fazendo uma metáfora, é como se as inteligências fossem as sementes e a inteligência emocional fosse a terra, o adubo onde elas podem crescer”, ressalta Koziner. O desenvolvimento da inteligência emocional possibilitaria o melhor desempenho dos demais potenciais.

Habilidades Fundamentais

Para se ter um coeficiente emocional (QE) elevado é preciso desenvolver cinco habilidades básicas dia a dia que constituem os pilares dessa inteligência. A porta de entrada, segundo Mario Koziner, é o autoconhecimento, a capacidade de conhecer melhor suas próprias emoções para administrar melhor a vida. “A capacidade de se auto-observar, saber o que está pensando, sentindo, perceber a sua postura corporal”, frisa Koziner.

O segundo pilar é a administração das emoções, de sentimentos como raiva, tristeza, tensão, estresse, medo, transformado-os em produtivos e criativos. “Não se trata de combater ou negar, mas de redirecioná-los para a sua própria saúde e a dos outros”.

A automotivação é a terceira habilidade, que combina sentimentos de entusiasmo e confiança como meios para a realização. É identificar as metas, os sonhos, os objetivos e caminhar para a realização. A quarta habilidade é chamada de empatia, que pode ser traduzida como a capacidade de colocar-se no lugar do outro. O princípio baseia-se em algo que anda em falta nesse universo de tantas guerras e intolerância sociais: no respeito à alteridade, à diferença.

“Estamos muito voltados para a tecnologia e distantes da empatia, o que faz com que tantas relações entrem em conflito. Não sabemos como respeitar o outro porque não somos educados para isso. Há alguns autores que falam que esta será a nova ética. Se eu começo a sentir o dano que causo ao outro, vou me retificar. O outro pode pensar diferente, mas não é por isso que vou desrespeitá-lo”, explica Koziner.

A Sociabilidade forma o quinto pilar, que significa a capacidade de ajudar a desenvolver as habilidades dos outros, seja na família, no trabalho ou em qualquer outro convívio social. “Saímos da mentalidade egoísta para trabalhar em grupo enaltecendo, entretanto, o indivíduo através desse grupo”. Desenvolve-se a capacidade de mediar conflitos, à autonomia e as lideranças.
Koziner inicia o curso dizendo: “É possível através de um trabalho de educação, de um exercício diário”. (ACM)

PROGRAMA DO CURSO

– Introdução à Inteligência Emocional e Qualidade Humana
– Autoconhecimento
– Administração das emoções
– Automotivação
– Empatia
– Sociabilidade
– liderança

CURSO DE COMPETÊNCIA EMOCIONAL

CURSO DE COMPETÊNCIA EMOCIONAL

Correio da Bahia – Salvador - Domingo 06 de Julho de 2003. Trabalho, por Toni Vasconcelos.

Koziner:
“Qualidades subjetivas, como otimismo e autoconfiança, estão pesando cada vez mais”

“Já não importa apenas o quanto somos inteligentes nem a nossa formação ou grau de especialização. Importa também a maneira como lidamos com nós mesmos e com os outros”.

Na avaliação do médico e psicoterapeuta Mário Koziner, qualidades subjetivas, como autoconfiança, administração das emoções, otimismo, comunicação eficaz e adaptabilidade às mudanças, estão pesando cada vez mais na disputa por uma vaga ou mesmo para se manter no emprego. Para ajudar profissionais de todas as áreas a encarar esse novo desafio no competitivo mercado de trabalho, ele desenvolveu o curso competência emocional e qualidade humana, que está iniciando neste fim de semana uma nova turma. O curso tem duração de sete meses e está dividido em sete módulos (um por mês).

O primeiro módulo está sendo ministrado hoje, no Instituto Koziner, que fica na Rua das Hortênsias, 740, edifício Comercial Itaigara, sala 304, no Itaigara (telefone 353-7909). O próximo módulo está previsto para os dias 9 e 10 de agosto. As inscrições podem ser realizadas no mesmo local ou via internei, no site www.institutokoziner.com. O investimento à vista é de R$ 1,4 mil ou em sete parcelas mensais de R$ 200, com direito a certificado de participação. Mesclando aulas teóricas e vivências práticas, o curso aborda temas como novos paradigmas da inteligência, competências intrapessoais e interpessoais, qualidade de vida e sociabilidade e liderança. Argentino radicado na Bahia há muitos anos, Mário Koziner tem formação psicanalítica, humanista e transpessoal, especializando-se em dinâmica de grupo e psicologia social, além de ser master e trainer em programação neurolingüística e consultor em desenvolvimento humano. “Pesquisa da consultoria Pricewaterhouse Coopers com 11 grandes companhias brasileiras revela que atualmente são mais valorizados os profissionais que demonstram capacidade de realização, criatividade, ética, motivação, dinamismo, iniciativa e competência interpessoal” reforça sua tese.

A Tarde – Salvador – 13 de Outubro de 2002. EMPREGOS

Mário Koziner: importância do saber lidar com o outro.

Uma pesquisa da empresa de consultoria Pricewaterhouse Coopers com 11 grandes companhias brasileiras mostra que hoje são mais valorizados os profissionais que demonstram capacidade de realização, criatividade, ética, motivação, que têm mais dinamismo, iniciativa é competência interpessoal. “São todas habilidades emocionais”, observa o médico e psicoterapeuta Mário Koziner, que nos próximos dias 19 e 20 de outubro estará iniciando o Curso de Competência Emocional e Qualidade Humana em Salvador.

Há nove anos ministrando este programa para profissionais de todas às áreas, em cidades brasileiras e do exterior, Koziner afirma que atualmente os profissionais estão sendo avaliados por novos critérios. “Já não importa apenas o quanto somos inteligentes nem a nossa formação ou o nosso grau de especialização, mas também a maneira como lidamos com nós mesmos e com os outros. Qualidades interiores como autoconfiança, capacidade de administrar as emoções, otimismo, comunicação eficaz e adaptabilidade às mudanças estão recebendo uma nova valorização, principalmente para os profissionais que exerçam funções de liderança ou atuam em áreas de educação e gestão de pessoas”, diz.

Por isso o mesmo conteúdo do curso é voltado para estas pessoas, “bem como a todos os profissionais que se sentem limitados por uma formação técnica e querem atualizar suas perspectivas dentro da visão dos novos paradigmas do desenvolvimento pessoal e profissional”, informa o professor. Este é o foco do Instituto Koziner, especializado em criar e implementar programas para o desenvolvimento de competências e valores humanos nos indivíduos e nas organizações.

Desenvolvido em seis encontros (um fim de semana por mês), o curso ensina os participantes melhorarem seus relacionamentos interpessoais, ajudando-os a descobrir em si mesmos uma maior capacidade de liderar e de influenciar positivamente pessoas.

Empresas investem no emocional

Empresas investem no emocional

A Tarde – Salvador – 10 de Setembro de 2000. EMPREGOS & MERCADO

Com o avanço tecnológico, que proporcionou uma igualdade no quesito qualidade do material produzido, as empresas correm em busca de um diferencial competitivo para sobreviver neste mercado globalizado. E foram buscar no ser humano, naquilo que os especialistas chamam de “Qualidade Humana”, e estão investindo no desenvolvimento da Inteligência Emocional de seus trabalhadores.

Aliás, um dos quesitos que mais pesam na escolha de executivos nas empresas, sobretudo nas de alta tecnologia, é a capacidade que eles têm de controlar o emocional.

Especialistas concluíram que, por mais QI (Quociente Intelectual) e hábil que seja em sua área, qualquer profissional para ter sucesso depende de 50% da inteligência emocional. E não é para menos, já que as pessoas não têm consciência de que são movidas pelas emoções e que, entre elas, o medo é a que, predomina. 95% das emoções que o homem tem no trabalho estão representadas pelo medo.

(…)

La gente hace la diferencia

La gente hace la diferencia

El Observador – 08 de Abril de 1998. CAPACITACIÓN

 

Desarrolar la inteligencia emocional de las personas puede resultar un arma muy útil en um concepto de la empresa moderna en el cual las relaciones humanas tanto hacia adentro como hacia afuera de la misma llegan a tener una incidencia directa en los resultados de un negocio. A manejar las emociones, estar en positivo, con las pilas cargadas y dispuestos a sacar lo mejor de cada persona y situación también se aprende.

Mario Koziner es un psicoterapeuta argentino con formación psicoanalítica, humanista y transpessoal, especializado en inteligencia emocional. Dirige en Bahía, Brasil, el Instituto Quantum de desarrollo personal y profecional y dictará este año en Montevideo un curso sobre El Desarrollo de la inteligencia emocional.
En una entrevista con Café & Fax Koziner explicó la incidencia que puede tener para una empresa desarrollar la inteligencia emocional en su gente, en particuar en aquellas personas que trabajan con gente o ejercen algún tipo de liderazgo. Según el médico, los seres humanos utilizan sólo un pequeño porcentaje de su cerebro y existen procedimientos para desarrollar lo mejor que una pesona tiene.

“Un gerente que desarrolle su inteligencia emocional va a contar con nuevas herramientas para liderar, para conocer el lado humano de cada funcionario y poder sacar lo mejor que la persona tiene, así como a estar más atento a esa ley fundamental en una empresa que es ganar-ganar”, agregó. La idea es adoptar como posición que si una de las partes se beneficia, las do lo hacen, de manera que articular los hilos de la colaboración es la base para ser un equipo vencedor”, expresó.

No es un curso como cualquier otro de capacitación, ya que se tabaja el lado humano y no el técnico. Sin embargo, muchas empresas que trabajan con programas de desarrollo gerencial están incluyendo la inteligencia emocional. “Puede comprobarse fácilmente que el éxito de una persona depende en un 20% de su coeficiente intelectual y el 80% restante de sus habilidades emocionales”, senãló Koziner, “y la inteligencia emocional también se educa”, subrayó.

Los pilares

Para desarrollar la inteligencia emocional se trabaja sobre cuatro pilares fundamentales.

Hoy em día la ecuación de la calidad es la suma del coeficiente intelectual más el coeficiente emocional.

– El autoconocimiento, porque sin conocerse a uno mismo no se puede liderar y obtener lo mejor de las otras personas.

– La adminstración de las emociones propias de modo de poder canalizar positivamente hasta las emociones más negativas de las personas.

– La automotivación, porque conocer cuál es el nivel de motivación que uno mismo tiene y cuales son los obstáculos para estar motivados es fundamental para poder desarrollar los incentivos necesarios en las otras personas con las que se trabaja.

– La empatía. Tener contacto con el mundo emocional de las personas que se dirige es fundamental para liderar con eficacia y poder sacar lo mejor de cada uno. En las empresas en que existe esta empatía se desarrollan redes informales que son fundamentales. En ese tipo de empresa con buen clima, la eficacia y la creatividad son substancialmente superiores a otras en las que esas redes no existen.

Según Koziner, en la orgnaización del futuro se van a diluir los departamentos, los cargos estereotipados, y lo más importante van a ser los grupos humanos. “En un mundo globalizado la tecnología no es nada”, expresó, “porque dos empresas pueden tener acceso a exactamente la misma tecnología. Sin embargo una que trabaja con calidad humana está 10 pasos delante de una que no “lo hace”.
En ese sentido, el especialista señaló que se han hecho investigaciones en empresas de todo el mundo, de tamaños similares, tecnologías similares, capitales similares y, sin embargo, con resultados diferentes. Para Koziner eso demuestra que la diferencia entre una empresa e otra está en el equipo humano.
Hoy en día la ecuación de la calidad es la suma del coeficiente intelectual más el coeficiente emocional porque “lo que hoy es actualidad, en cuatro años es obsoleto y si no desarrolla esa calidad humana cada vez más rápido se van a caer las organizaciones”, finalizó.

El líder del 2000

Conducir no es necesariamente liderar y para esto último la persona tiene que tener desarrollada cierta empatía para poder sentir lo que los otros sienten y desarrollar mejor lo que los otros tienen. Esa persona se convierte en un ser confiable porque hace lo que dice, es mensajero y predica con su ejemplo. Ese es un líder que actúa con inteligencia emocional, una persona que lidera con sus valores. “Es el perfil de líder más buscado en el mercado internacional”, señaló Koziner. “La persona es um modelo confiable, un educador y refuerza lo mejor, lo positivo de los otros individuos”, agregó.
En ese sentido, los mejores resultados se obtienen con líderes que actúan según su intuición. “Son cabeza de las compañias que actúan en base a lo que sienten”, señaló el experto.

“Toman las decisiones consultando a sus sentimientos y tienen respuestas eficaces, correctas y tienen éxito aunque no tengan todos los datos racionales de análisis de los mercados”. Para Kozienr eso no significa ser impulsivo. “Aunque hay gente que tiene ese don, llegar a poder guiarse por la intuición requiere de mucho entrenamiento”, enfatizó.

Empresas baianas investem em inteligência emocional

Empresas baianas investem em inteligência emocional

Correio da Bahia - Salvador – 14 de Maio de 1999, por Magnólia Cavalcante

Procura por serviços de consultoria na área tem crescido em todo o mundo

Grandes empresas de diferentes ramos, como Banco do Brasil, Telemar, Chesf, Ceparh e Prodeb, estão investindo no desenvolvimento da Inteligência emocional no ambiente de trabalho. Não é uma coincidência. Apesar de ser um fenômeno recente, a procura por serviços de consultoria nessa área tem apresentado crescimento em todo o mundo. As empresas buscam a capacidade de inovação, persuasão, liderança, flexibilidade, motivação e rapidez na tomada de decisões de seus funcionários.

“Os parâmetros do mercado de trabalho estão mudando. Hoje, se focaliza a comunicação, a empatia e a capacidade de adaptação às mudanças”, disse o especialista em inteligência emocional, Mário Koziner. Ele é um dos fundadores do Instituto Koziner em Salvador, pioneiro na promoção de cursos para o desenvolvimento humano visando soluções práticas, inclusive para o setor empresarial. “Se a qualidade humana não é treinada, capacitada, os programas de qualidade total implantados na empresa ficam limitados. É fundamental o elo entre o sentir e o fazer”, observa.

Mário Koziner ressalta que o treinamento da qualidade humana não pode ser um curso convencional. “muitos falham por causa da metodologia utilizada. O capacitador precisa mudar a atitude, os hábitos das pessoas”, disse. Ele explica que antes de implantar um treinamento, é preciso primeiro fazer um diagnóstico do problema existente na empresa. “A partir daí, oferecemos um programa de capacitação que pode ser palestra, seminário, curso, treinamento ou até consultoria permanente”, afirmou. Segundo ele, os resultados dependem da empresa e do problema, mas já é possível verificar mudanças na qualidade comunicacional em três meses.

O psicoterapeuta cita o exemplo da concessionária Itapuã Veículos depois de ter investido no desenvolvimento da inteligência emocional. “Desde que a empresa implantou o programa, ela conseguiu elevar sua posição no mercado, segundo pesquisa da General Motors, ganhou um prêmio de atendimento ao cliente e aumentou suas vendas e produtividade”, contou.

De acordo com Mario Koziner, a contratação de um serviço nesta área não é caro e pode ser feito também por empresas de pequeno porte. “É um excelente investimento”, garante.

A Alfabetização da Emoção.

A Alfabetização da Emoção.

Diário do Nordeste - Fortaleza – 08 de novembro de 1996 - Caderno 3

Terapeuta ministra workshop em Fortaleza sobre inteligência emocional

O homem possui inúmeras potencialidades que estão além dos testes de quoeficiente de inteligência (QI). A inteligência emocional vem falar da capacidade de compreender as próprias emoções e as do outro, como uma habilidade fundamental do ser humano.

O equilíbrio emocional desponta no final de século como a chave para o sucesso nos empreendimentos humanos. Lançando mão de técnicas como Bionergética, Gestalterapia e Programação Neurolinguística, o psicoterapeuta argentino Mário Koziner desenvolve há mais de dez anos trabalho de alfabetização emocional. Em sua primeira visita à Fortaleza, ele profere palestra sobre “Identidade e Espiritualidade – Sustentando a Leveza da Luz”, às 19h30 de hoje, no Seminário da Prainha. O tema motivará workshop que acontece de sexta a domingo, na Praia da Caponga. A proposta do encontro é estabelecer a sintonia interior e o poder que ela representa para a realização da potencialidade humana. Isso é feito a partir do desenvolvimento da Inteligência Emocional, uma imposição da nova ordem econômica mundial.

Com formação em Medicina pela universidade de Buenos Aires, Koziner tem residência médica em Psiquiatria e pós-graduação em Saúde mental. O currículo registra formação psicanalítica e humanista em Psicodrama, Bionergética e Gestalterapia, assim como formação em Psicologia Transpessoal e curso Master em Programação Neurolinguística. É também coordenador e instrutor de programas para o Desenvolvimento Pessoal e Profissional do Instituto Quantum de Salvador (BA). Começou a desenvolver esse trabalho com a espiritualidade e o emocional a partir da experiência como psiquiatra em tribos indígenas do sul da Argentina.

O psicoterapeuta explica que no inconsciente está todo o nosso potencial (supraconsciente) e que só conseguimos atingir um nível espiritual avançado via inteligência emocional, despertando a intuição que em alguns já é desenvolvida, enquanto que em outros precisa ser despertada.

“A Inteligência emocional é o código de acesso ao nível espiritual”, ensina o psicoterapeuta portenho. O nível espiritual é o que nós temos de melhor, nossa essência.

O homem ocidental está descobrindo o que os orientais aplicam há séculos. Novos paradigmas pautam a ciência de hoje, que descobriu que o homem inteligente não é o que tem apenas o referencial de Inteligência (QI) alto, mas aquele que despertou a inteligência emocional a tal ponto de manter uma relação saudável no ambiente de trabalho, na família e na sociedade. É baseado nisso que as empresas, principalmente do Primeiro Mundo, vêm treinando seus funcionários no sentido de levá-los a ser bons administradores das emoções para serem bons profissionais. Trata-se da alfabetização emocional, que trabalha não só a linguagem verbal, mas a dos sentimentos.

O Workshop pretende fazer reflexões sobre a identidade dos participantes enquanto seres humanos que sonham, que têm uma missão a cumprir mas que muitas vezes impõem limites através da reprodução de crenças. Os sonhos e as aspirações funcionam como uma bússola para nortear nossas vidas e dar-lhes uma direção, principalmente em época de crise, explica Koziner. O especialista compara os sonhos à seiva da planta, que a nutre. Para ele, o poder pessoal consiste na capacidade de realizar os sonhos. “O sonho pessoal é a essência dos desejos mais profundos de realização”, arremata.

Durante o worksop o psicoterapeuta utilizará exercícios e noções de Bionergética, usando conceitos de “grond”, que significa literalmente estar com os pés no chão. Koziner lançará mão da Gestalt para tentar integrar as divisões interiores da pessoa. Já o psicodrama vai possibilitar que os participantes vivam situações e papéis uns dos outros. Koziner acredita que tanto o talento como o temperamento são fatores oriundos do condicionamento e que podem ser aprendidos e exercitados. “podemos mudar os estados psicológicos através dos exercícios”, diz ele.

Um dos estudiosos da Inteligência Emocional em evidência é o psicólogo norte-americano Daniel Goleman, autor do livro “Inteligência Emocional”. Em um dos trechos do trabalho, o autor defende que devemos conter nossos impulsos emocionais, canalizando-os de forma adequada.

“A capacidade de controlar os impulsos é a base da força de vontade e do caráter”, diz o autor. Segundo ele, as aptidões que revelam a chamada inteligência emocional incluem, em grande parte, o autocontrole, o zelo, a persistência e a capacidade de automotivação.

Serviços oferecidos pelo Instituto Koziner

Cursos

O INSTITUTO KOZINER é especializado em criar e implementar cursos e programas para o Desenvolvimento Pessoal e Profissional.

Consultoria Sistêmica

Realiza sob medida para organizações Consultoria Sistêmica em RH, Palestras, e Programas com uma metodologia inovadora, baseada nas ultimas descobertas das neurociências

Palestras

As palestras de Mario Koziner se caracterizam por ser de alto impacto emocional e com ativa participação do público.

Constelações Familiares

Mario Koziner, médico psiquiatra, exerce a psicoterapia desde 1982, o coaching desde 1990 e constelações sistêmicas desde 2003.